Última hora

Última hora

Ucrânia: Parlamento rejeita demissão de Arseniy Yatsenyuk

Em leitura:

Ucrânia: Parlamento rejeita demissão de Arseniy Yatsenyuk

Tamanho do texto Aa Aa

O Parlamento ucraniano rejeitou a demissão apresentada pelo Primeiro-ministro. Apenas 16 deputados votaram a favor, numa altura em que é importante evitar que o país caia numa nova crise política. Aliás Arseniy Yatsenyuk fez questão de relembrar o caso da Argentina:

“Há duas notícias, hoje, no mundo económico. A primeira é que a Argentina anunciou incumprimento, a segunda é que a Ucrânia não anunciou nem anunciará cenário igual.”

Yatseniuk tinha anunciado a sua demissão e dissolução da coligação governamental no passado dia 24, para o Presidente ucraniano o importante é manter a unidade:

“Aquilo de que precisamos hoje é de unidade, precisamos do governo. Tenho a certeza de que uma cooperação, efetiva, entre o Presidente, o governo e o parlamento trará resultado.”

A grave crise económica e o conflito armado com os separatistas pró-russos, que parece não ter fim à vista e aumenta a despesa do Estado, não têm ajudado o governo ucraniano, ainda assim, conseguir manter alguma coesão parece ser o objetivo final:

“A adoção do projeto legislativo governamental “calou” a questão da demissão do Governo. Isso significa que este núcleo, juntamente com o primeiro-ministro Yatsenyuk, vai funcionar, pelo menos, até as eleições legislativas na Ucrânia. A votação está prevista para 26 de outubro”, adianta a correspondente da euronews, em Kiev, Maria Korenyuk.