Última hora

Última hora

Nove soldados azerbaijaneses morrem nos combates fronteiriços com a Arménia

Em leitura:

Nove soldados azerbaijaneses morrem nos combates fronteiriços com a Arménia

Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos nove soldados azerbaijaneses morreram, na madrugada desta sexta-feira, nos combates entre as forças arménias na fronteira entre ambos os países, considerada uma das mais instáveis do mundo.

Segundo o ministério da Defesa do Azerbaijão, um destacamento arménio, que incluía forças do enclave separatista de Nagorno-Karabakh (enclave de população arménia cristã encravado no Azerbaijão, país maioritariamente islâmico, realizou ontem uma incursão territorial repelida pelo Azerbaijão.

“Depois de um duro combate com grandes baixas, o destacamento arménio teve de retirar”, afirmou.

O Azerbaijão e a Arménia disputam a soberania do enclave do sul do Cáucaso, acusando-se mutuamente de violar o cessar-fogo de 1994.

O conflito remonta aos tempos da antiga URSS, quando o território azerbaijanês de Nagorno-Karabakh pediu a incorporação na vizinha Arménia. Pouco depois, estalou uma sangrenta guerra que causou cerca de 25.000 mortos.

As tropas da maioria étnica arménia residente em Nagorno-Karabakh ocupam todo o enclave e outros sete distritos que se uniram à Arménia e criaram uma franja de segurança que representa um terço do território do Azerbaijão.

Atualmente, Nagorno-Karabakh é, de facto, um estado independente autoproclamado República de Nagorno-Karabakh – mas não reconhecido internacionalmente. Está fortemente dependente da República da Arménia e usa a sua moeda, o dram.