Última hora

Última hora

Grande abstenção do eleitorado turco na Alemanha

Em leitura:

Grande abstenção do eleitorado turco na Alemanha

Tamanho do texto Aa Aa

As assembleias de voto das presidenciais turcas, para os eleitores residentes na Alemanha, fecharam no domingo, depois de quatro dias abertas ao eleitorado. As urnas foram seladas e enviadas para a Turquia, onde será realizada a contagem.
A comunidade turca da Alemanha é a mias importante no mundo: dos 2,8 milhões de turcos expatriados, metade vive na Alemanha, o que equivale ao eleitorado da quinta maior cidade turca, Adana.

Apenas 114 mil pessoas votaram na Alemanha, 8%. Espera-se que a maioria vote em férias, no país de origem.
É uma taxa de participação muito baixa para o candidato favorito, e atual primeiro-ministro, Recep Tayyip Erdogan, que contava especialmente com a comunidade turca naquele país.
Em fevereiro e maio, Erdogan fez sessões de esclarecimento na Alemanha, que deviam contribuir para a vitória anunciada. O movimento de imigração turca na Alemanha começou nos anos 50, quando o governo alemão lançou o Tratado para
Recrutamento de Trabalhadores Turcos. Nesse período o país passava por uma escassez de mão de obra devido
ao grande número de mortos e prisioneiros da Segunda Guerra Mundial, o que representava um entrave para a reconstrução do país no pós-guerra. Hoje, a comunidade turca representa a mais numerosa minoria da Alemanha, instrumentalizada por Erdogan.
Cem Ozdemir, do Partido Os Verdes, é um dos maiores críticos do debate eleitoral turco na Alemanha: – Se o governo tivesse dado aos turcos, residentes na Alemanha, a nacionalidade turca, se tivessemos alterado a lei, antes, muitos dos que se acomodaram, podiam lutar para uma solução aqui e não na Turquia ou noutro país. Em vez de criticar a primeira geração de turcos, devíamos avançar com políticas de integração.
O governo alemão alterou a lei recentemente para os filhos dos imigrantes, a partir do 18 e até aos 23 anos escolham o passaporte que querem conservar, o alemão, que têm por nascimento, ou o turco. Mas é obrigatório terem vivido oito anos na Alemanha ou frequentado escolas alemãs nos seis anos anteriores ao pedido.
Tanto os verdes como os sociais democratas criticavam, há uma década a lei da imigração, alegadamente perniciosa para a comunidade turca (a nova legislação foi aprovada em 2000).