Última hora

Última hora

Ekmeleddin İhsanoğlu desafia Erdogan nas presidenciais turcas

Em leitura:

Ekmeleddin İhsanoğlu desafia Erdogan nas presidenciais turcas

Tamanho do texto Aa Aa

Designado, de comum acordo, pelos maiores partidos, o republicano do povo (CHP) e o movimento nacionalista (MHP), além de outros quatro mais pequenos, Ekmeleddin İhsanoğlu é o candidato “da mudança e do reequilíbrio” nas eleições presidenciais turcas. É o único candidato com hipóteses de enfrentar Recep Tayyip Erdoğan, pela sabedoria e experiência.
Na apresentação da candidatura, foi apresentado ao eleitorado pelo vice-presidente do partido nacionalista, MHP, Başkan Yardımcısı Oktay Vural – Ekmeleddin Mehmet Ihsanoglu é uma pessoa que está em paz com os fundamentos da nossa república e também com os valores da nossa querida nação. Apresenta-se como candidato à presidência. A escolha que fazemos hoje não é a escolha de um partido político.
Ekmeleddin İhsanoğlu, nasceu no Cairo há 71 anos (1943), e seguiu a carreira académica. Especializou-se em cultura otomana e islâmica.
De 1980 à 2004, esteve à frente do Centro de Investigação de História, Arte e Cultura Islâmica. Em 2004 foi eleito secretário-geral da Organização de Cooperação Islâmica (OCI).
Ekmeleddin İhsanoğlu tem um perfil conservador, graças ao qual obteve o apoio do governo do AKP (Partido da Justiça e desenvolvimento, no poder) para a liderança do OCI. Ao designar um candidato conservador, os partidos da oposição visam obter os votos de alguns eleitores habituais do AKP.

O correspondente da euronews, Bora Bayraktar, perguntou a um analista político se esta tentativa tem alguma hipótese de singrar:

Dr. Yunus Emre, Istanbul Kültür University, autor do livro “The Emergence of Social Democracy in Turkey”.

- Há uma premissa aqui: a sociedade turca é conservadora. Assim, em vez de mudarmos os nossos princípios e as nossas políticas de base, podemos obter os votos do eleitorado conservador com um candidato conservador. A seguir às eleições veremos se funcionou.

Ihsanoglu é um candidato apreciado por todas as classes sociais. A sua brilhante careira universitária é outro dos seus pontos fortes.

Considera-se um homem de consensos e defende que a sociedade turca necessita de paz e de serenidade.

Dr. Ekmeleddin Ihsanoğlu – Há uma tendência para a dualidade, a polarização e a alienação da nossa sociedade. O facto é que provoca problemas na Turquia. As pessoas querem paz e segurança, aumentar a produtividade, serem felizes. Só se consegue isso, eliminando as políticas que aumentam a divisão e implementar políticas mais inclusivas.

A Turquia, pela primeira vez na sua história, vai eleger o presidente da República em sufrágio universal. O primeiro-ministro Recep Tayyip Erdoğan (entre outros) pode utilizar a situação para concentrar em si o poder e mudar o regime no país, modificação à qual se opõe ferozmente Ihsanoglu:

Ekmeleddin Ihsanoğlu – Quero um sistema parlamentar e defendo que a Turquia seja administrada de acordo com ele. Este sistema é assim desde que se estabeleceu a república turca. Claro que pode ser reformado, mas ao dar toda a autoridade ao presidente pode causar desequilíbrio no sistema estatal. A Turquia não pode aceitar isto.

Considerado como principal adversário de Erdogan, İhsanoğlu também critica a política externa do governo. Nos últimos acontecimentos no Egito, as críticas foram fortes:

Prof. Dr. Ekmeleddin Ihsanoğlu – A política externa turca é muito mais importante do que todas as ideologias pessoais e não pode ser manipulada por interesses privados. A Turquia é um grande Estado. Não só tem relações com o Médio Oriente e com o mundo árabe, mas também com a Europa, o Cáucaso, a Rússia, a África Central, no Extremo Oriente e os Estados Unidos. A Turquia necessita construir relações em todo o mundo e pode alcançar o respeito mútuo, de acordo com interesses comuns e com equilíbrio. A Turquia não devia meter-se em problemas com aventuras e sonhos. A nossa intenção é servir a Turquia nesta direção e normalizar a política externa turca. Não podemos sacrificar a política externa a desejos pessoais.
Na Turquia, Ihsanoğlu não é uma personagem muito conhecida. Nunca se lançou na política. Dois pontos fracos que podem ter um impacto negativo no resultado das eleições.