Última hora

Última hora

Gaza: Para lá da Trégua

Em leitura:

Gaza: Para lá da Trégua

Tamanho do texto Aa Aa

Israel e o Hamas cumpriram esta quarta-feira 24 das 72 horas do cessar-fogo sem registo de incidentes.

Em Gaza, onde meio milhão de habitantes saíu de casa devido aos intensos bombardeamentos israelitas, algumas pessoas deixaram os abrigos da ONU e voltaram para os bairros onde viviam, na maioria reduzidos a escombros, para tentarem regressar à vida normal.

“A nossa casa e as lojas foram completamente destruidas e a nossa vida também. Vim aqui comprar roupa para as crianças. Só Deus sabe a nossa situação. Não temos nada, a nossa vida foi destruída e até o preço de tudo subiu”, disse Nevin Azayzah, habitante de Gaza.

Funcionários de agências das Nações Unidas temem que o agravamento das condições de vida em Gaza possa conduzir a uma crise humanitária na região. A falta de água e de infrastruturas sanitárias é preocupante.

“Já vi crises humanitárias. Isto não é, mas existem condições que podem levar a uma. O maior problema é a falta de água, ou seja, de infrastruras e de água nas casas. Estamos a conseguir água potável e não potável para os nossos abrigos, mas é um problema para toda a população”, afirmou Robert Turner, da ONU.

Segundo uma sondagem feita pelo jornal Haaretz, 51% dos inquiridos afirmaram que nenhum dos lados ganhou, enquanto 36% disseram que Israel saiu vitorioso e 6% deu a vitória ao Hamas.

O inquérito foi realizado após a retirada israelita de Gaza.

“Estivemos lá durante 30 dias e tencionamos ficar aqui enquanto for necessário, até tudo estar resolvido. Sou casado e tenho família, mas isso é que é importante. Cumprimos o nosso dever “, sublinhou Naftali, um soldado reservista israelita.

Um dia após a retirada, tanques e soldados israelitas voltaram a ser deslocados para perto da fronteira com o enclave palestiniano.