Última hora

Última hora

Rosetta à descoberta dos tesouros do sistema solar

Em leitura:

Rosetta à descoberta dos tesouros do sistema solar

Tamanho do texto Aa Aa

A Rosetta fez história no espaço. A sonda da Agência Espacial Europeia atingiu a órbita do cometa Churiumov Guerasimenko depois de uma viagem que durou 10 anos. A odisseia começou em 2004. Este é o primeiro objeto humano a conseguir semelhante feito:

“Agora estamos em posição de estudar essa incrível arca do tesouro que foi deixada desde o nascimento do sistema solar. Podemos centrar-nos nisso, podemos aprender coisas nas quais, muito provavelmente, não tínhamos pensado. Por isso, estar lá, alcançar isto, ao fim de tantos anos, é um marco importante, na missão”, explica Mark McCauchrean, cientista conselheiro sénior na ESA.

Na sua longa viagem a Rosetta entrou em modo de hibernação, no espaço profundo, em junho 2011. Acordou em janeiro de 2014. A sonda está a concretizar algumas das manobras mais difíceis, alguma vez realizadas no espaço:

“Entrámos numa zona onde ninguém jamais voou. Perto de um cometa há gás e poeira… Isso não é típico num voo espacial e nós temos de aprender a voar ali. As manobras, das próximas semanas, serão decisivas”, adianta Paolo Ferri, responsável de Operações da ESA.

Em novembro, a Rosetta vai aproximar-se do cometa e largar na sua superfície o robô Philae, que, com instrumentos científicos, tentará decifrar os segredos mais bem guardados do sistema solar.

Os Cometas são como máquinas do tempo: eles contêm materiais que remontam à formação dos planetas, há mais de 4 mil milhões e meio de anos. Ao estudar o gás e poeira, em torno do núcleo, os cientistas esperam respostas para as origens do sistema solar. O Rosetta já está a enviar informações.