Última hora

Última hora

Ucrânia: Ofensiva contra separatistas com o apoio da NATO

Em leitura:

Ucrânia: Ofensiva contra separatistas com o apoio da NATO

Tamanho do texto Aa Aa

Em Donetsk, os residentes temem ficar no meio de um campo de batalha com o avanço das tropas ucranianas e dos rebeldes pró-Rússia. As forças ucranianas têm conseguido com que as unidades rebeldes fiquem concentradas em Donetsk e em Luhansk.

Entretanto, o primeiro-ministro da autoproclamada República de Donetsk, Alexandr Boroday, anunciou a sua demissão: “Como deve saber eu venho de Moscovo. Acho que República Popular de Donetsk, Donbas, deve ser conduzida por uma pessoa nativa de Donbas”, disse.

Os soldados ucranianos preparam-se para avançar sobre Donetsk e Luhansk, controladas pelos rebeldes. Kiev cercou as duas cidades e continuam os confrontos com os separatistas.

À medida que o conflito se intensifica no leste da Ucrânia, além fronteiras a via diplomática tenta chegar a uma solução. O secretário-geral da NATO, Anders Fogh Rasmussen, anunciou em Kiev, que conta com o apoio militar da NATO.

Segundo o analista político Volodymyr Fesenko, “esta visita surge no meio de relatos sobre a possibilidade de uma invasão russa à Ucrânia e na possibilidade da denominada “operação de paz” em Donbas. A visita de Rasmussen é uma mensagem política clara, que isto não deve acontecer.”

A Rússia continua a negar que está a reforçar as tropas no leste do país, apesar de vários relatos alegarem o contrário.