Última hora

Última hora

Gaza: A paz que todos procuram mas que é difícil de alcançar

Em leitura:

Gaza: A paz que todos procuram mas que é difícil de alcançar

Tamanho do texto Aa Aa

O cessar-fogo é, de facto, uma lufada de ar fresco para os palestinianos que querem, acima de tudo, refazer as suas vidas e todos anseiam pelo fim de uma guerra que já custou a vida a quase dois mil palestinianos, na sua maioria civis. Não querem esta trégua renovada, dia após dia, e que não lhes dá qualquer segurança, querem uma paz duradoura:

“Esperamos que, depois destes cinco dias, haja uma solução permanente, que ponha fim ao massacre que Israel e os seus aliados estão a cometer. Pedimos aos negociadores palestinianos, que estão no Cairo, para não regressarem, para não desistirem até conseguirem que as nossas exigências sejam satisfeitas”, diz Mohammad el Deeb, residente de Gaza.

Do outro lado, em Israel, também se quer a paz. O país perdeu menos de 70 pessoas, na sua maioria soldados e são as famílias destes homens, que dão a vida pela Pátria, que mais temem o amanhã:

“Quero acreditar que, desta vez, o cessar-fogo vai terminar com um acordo. O meu marido esteve um mês no exército e foi muito duro. Por isso, espero que não voltem a chamá-lo”, desabafa Jessica Bernard, moradora em Ashkelon, Israel.

Mas alcançar a paz requer mais do que a vontade destes israelitas e palestinianos. O Hamas e aliados querem o fim do bloqueio israelita e egípcio a Gaza. Israel quer o fim do Hamas, em nome da segurança e estabilidade do seu país. Fazer os dois lados caminharem juntos continua a ser um desafio.