Última hora

Última hora

Papa: fosso entre ricos e pobres está a aumentar

Em leitura:

Papa: fosso entre ricos e pobres está a aumentar

Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de peregrinos assistiram à cerimónia de beatificação de mais de uma centena de cristãos, em Seul, na Coreia do Sul.

À exceção de um padre, todos os novos beatos são leigos. No total, a lista é composta por 124 mártires perseguidos e mortos entre os séculos XVIII e XIX.

“O exemplo destas pessoas pode servir para nos inspirar. A nós que vivemos em sociedades onde ao lado da riqueza, cresce de forma silenciosa uma pobreza extrema; onde o grito do pobre raramente é escutado e onde Cristo nos continua a chamar e a pedir para que amemos e ajudemos aqueles que mais precisam” afirma Francisco.

Uma mensagem dirigida aos sul-coreanos e ao mundo que, em Seul, não deixou ninguém indiferente.

“Senti-mo honrada pelo facto de o Papa ter presidido à missa. Não me parece que venhamos a ter outra oportunidade tão cedo. Foi um momento precioso” refere Seo Ji-young, estudante sul-coreana.

“Os sul-coreanos estão, de uma forma geral, deprimidos e não vai ser fácil alterar esta situação, mas penso que a visita do Papa pode contribuir para mudar o ambiente que se vive no país” refere a sul-coreana, Bae Joo-hee.

Os católicos representam cerca de 10 por cento da população sul-coreana.

A Coreia do Sul, um dos países mais ricos o mundo é, também, um exemplo de desigualdade já que cerca de metade da população idosa vive em situação de pobreza.