Última hora

Última hora

O dia em que a Humanidade ficou em dívida com a Terra

Em leitura:

O dia em que a Humanidade ficou em dívida com a Terra

Tamanho do texto Aa Aa

Dezanove de agosto é a data em que toda a Humanidade contrai uma dívida. E o crédito é reclamado pela própria Natureza. A partir deste dia esgotam-se teoricamente todos os recursos naturais que o planeta tem capacidade para fornecer ao longo de um ano, como aponta a Global Footprint Network, que se debruça sobre as questões do impacto conhecido como “pegada ecológica”. Ou seja, os seres humanos passaram a estar em défice ecológico com a Terra.

Christophe Roturier, diretor científico da World Wide Fund em França, explicou à euronews, via telefone, o que está em causa: “A partir de agora, gastamos mais do que temos disponível. Estamos a falar de todos os recursos naturais produzidos pelo planeta Terra, seja água, solo arável, florestas, peixes, tudo o que necessitamos para viver, mas também tudo o que a Terra tem capacidade de digerir no que toca a resíduos produzidos pelo Homem, como o dióxido de carbono, que as florestas e os oceanos só conseguem absorver até determinado ponto. A partir de agora temos uma dívida ecológica e começamos a acumular resíduos que o planeta não vai conseguir absorver.”

Dizem os especialistas que era preciso um planeta e meio para colmatar as necessidades atuais. Claramente no vermelho, os Emirados Árabes Unidos superam em 12 vezes o consumo de recursos que seria expetável terem, seguidos do Japão. China e Estados Unidos multiplicam por cerca de dois. Na Europa, é a Itália e a Suíça que sobressaem – ambas gastam o equivalente a mais 4 territórios nacionais. Depois, vêm o Reino Unido, a Alemanha e a França. Na contagem ordenada de países por pegada ecológica, Portugal surge na quadragésima posição.


86% da população mundial vive em nações que exigem muito mais do que os ecossistemas têm para dar. No ano 2000, o esgotamento global de recursos só acontecia no dia 1 de outubro. É preciso recuar até 1961 para recordar um equilíbrio sustentável: ao longo de 365 dias, consumia-se apenas o equivalente a três quartos do que a Terra oferecia.

footprintnetwork.org

wwf.fr

"Christophe Roturier"

Os porquês da “dívida ecológica” na entrevista integral realizada pela jornalista Agnès Faivre a Christophe Roturier, diretor científico da World Wide Fund em França.