Última hora

Última hora

O que ficou dos jogos olímpicos de Atenas?

Em leitura:

O que ficou dos jogos olímpicos de Atenas?

Tamanho do texto Aa Aa

Dez anos após os jogos olímpicos de Atenas, os meios de comunicação social da Grécia mostram imagens dos equipamentos desportivos ao abandono.

Para muitos gregos a organização do evento arruinou o país. Outros culpam os governos seguintes por terem negligenciado as estruturas olímpicas por razões puramente políticas.

O contraste entre a euforia vivida em 2004 e a realidade atual é marcante.

Stella Ntala trabalhou como voluntária em Atenas.

“O sorriso das pessoas é uma das minhas melhores recordações. Nunca esquecerei o nosso sentimento de orgulho em 2004. Tínhamos esperança num futuro melhor. Pensávamos que a Grécia se tornaria num país melhor”, recorda Stella Ntala.

A organização do evento acusa a oposição de ter boicotado o projeto para a utlização dos equipamentos desportivos.

Para Kostas Kartalis, antigo secretário-geral de Atenas 2004, as decisões tomadas pelo governo seguinte tiveram razões políticas.

“Havia um plano para a utilização de cada equipamento. Depois de 2004, o governo seguinte decidiu não executar esses planos por interesse político. Foi uma oportunidade perdida.A Grécia não conseguiu manter vivo o espírito dos jogos olímpicos. Daí o abandono das estruturas”, afirma Kostas Kartalis.

Muitos gregos acreditam que os jogos olímpicos arruinaram o país. Mas um dos responsáveis pela organização do evento sublinha que o investimento feito em Atenas foi apenas uma gota de água no oceano da dívida grega.

Stratos Siafoleas trabalhou no departamento de comunicação de Atenas 2004.

“Os que dizem que os jogos olímpicos são responsáveis pela crise económica não foram bons alunos em matemática. O investimento para os jogos de 2004 foi de oito mil milhões de euros. Em 2009, a dívida da Grécia rondava os 320 mil milhões”, garante Stratos Siafoleas.

Será que há mesmo benefícos económicos de longo prazo quando se organiza um evento desta dimensão?

O exemplo grego é matéria para reflexão para muitos países interessados em relançar a economia graças ao empurrão dos grandes eventos desportivos.

“Em 2004, a Grécia ganhou a batalha. Dez anos depois parece que o país perdeu a guerra. O orgulho nacional deu lugar à desilusão e à ira. Mas hoje a utilização dos equipamentos olímpicos poderia contribuir para pôr fim à crise”, sublinha Apostolos Staikos, correspondente da euronews em Atenas.