Última hora

Última hora

Hamas executa em público alegados colaboradores de Israel

Em leitura:

Hamas executa em público alegados colaboradores de Israel

Tamanho do texto Aa Aa

O Hamas executou 18 palestinianos na Faixa de Gaza, acusados de colaborarem com Israel.

Em Gaza, 6 execuções aconteceram depois das orações de habitais de sexta-feira.

Elementos das Brigadas al-Qassam encostaram os homens junto a maior mesquita de Gaza e fuzilaram-nos sob o olhar de uma multidão.

“Porque são espiões, eles ajudaram a matar o povo. Os judeus não sabem que existe uma resistência aqui, os colaboradores informam-nos”, diz um palestiniano.

Os bombardeamentos israelitas e o disparo de morteiros e “rockets” palestinianos fazem agora parte do quotidiano. No terceiro dia consecutivo depois da interrupção do cessar-fogo a aviação de Israel realizou pelo menos 30 ataques, o Hamas disparou “rockets” e morteiros mais de 50 vezes.

Um dos projeteis acertou em cheio numa sinagoga em Ashdod, no centro litoral de Israel.

Mais grave, foi um tiro de morteiro que vitimou mortalmente uma criança numa quinta na zona de Sdot Negev, a leste da Faixa de Gaza.

Quatro civis e 64 soldados israelitas já morreram desde o início da violência. Do lado palestiniano o número de baixas já ultrapassa as duas mil.