Última hora

Última hora

Kiev acusa Moscovo de "invasão". NATO preocupada com o "aumento alarmante" de forças russas junto à fronteira com a Ucrânia

Em leitura:

Kiev acusa Moscovo de "invasão". NATO preocupada com o "aumento alarmante" de forças russas junto à fronteira com a Ucrânia

Tamanho do texto Aa Aa

Kiev acusa Moscovo de ter lançado uma “invasão” à Ucrânia. Afirmações do chefe dos serviços de segurança ucranianos pouco depois de parte da chamada “caravana humanitária” russa ter entrado sem autorização no leste do país, esta sexta-feira.

O primeiro-ministro ucraniano considera que “toda a responsabilidade, depois de a Rússia ter violado todos os tratados internacionais e recusado cooperar com a Cruz Vermelha, recai apenas sobre a Federação Russa e pessoalmente sobre o presidente russo”, afirmou Arseni Iatseniuk.

A NATO criticou a Rússia por ter enviado a caravana para a Ucrânia sem a autorização de Kiev. O secretário-geral da organização, Anders Fogh Rasmussen considera que a decisão “só poderá agravar a crise na região, que foi criada e é alimentada pela própria Rússia”.

A NATO afirma que tem assistido à transferência de grandes quantidades de armas para os separatistas no leste da Ucrânia e diz estar a “observar um aumento alarmante de forças aéreas e terrestres russas nas proximidades da Ucrânia”.

Já o embaixador da Rússia nas Nações Unidas explicou que a decisão de mandar avançar a “caravana humanitária” se ficou a dever ao facto de “aparentemente, não existir uma cadeia de comando em Kiev, porque são dadas garantias ao mais alto nível e, depois, outros não dão as ordens que são necessárias na fronteira para que a polícia deixe os camiões entrar. Esse jogo não podia continuar eternamente”, afirmou Vitaly Churkin.

A pedido da Lituânia, o Conselho de Segurança das Nações Unidas reúne esta sexta-feira para discutir os últimos desenvolvimentos da crise no leste da Ucrânia.