Última hora

Última hora

Kiev acusa Rússia de "invasão direta" da Ucrânia mas promete não atacar a "caravana humanitária"

Em leitura:

Kiev acusa Rússia de "invasão direta" da Ucrânia mas promete não atacar a "caravana humanitária"

Tamanho do texto Aa Aa

Kiev acusa Moscovo de “invasão direta” da Ucrânia, depois de camiões russos, alegadamente com ajuda humanitária, terem começado a entrar, sem autorização, em território ucraniano, esta sexta-feira.

Os serviços de segurança ucranianos também afirmam que não vão recorrer à força para travar a caravana e expressaram o desejo de evitar qualquer provocação.

A Cruz Vermelha Internacional também informou que “a caravana de ajuda russa está a avançar para dentro da Ucrânia”, mas sem a escolta da organização que decidiu não acompanhar a coluna por causa “da volátil situação da segurança”.

Em comunicado, o Kremlin justificou a entrada da caravana em território ucraniano: “Todos os pretextos para adiar a entrega de ajuda às zonas em situação de catástrofe estão esgotados. A Rússia decidiu agir. O nosso comboio, carregado de ajuda humanitária, dirige-se para Lugansk”.

Segundo Kiev, cerca de 90 dos perto de 300 camiões, que estavam há uma semana junto à fronteira, começaram a entrar em território ucraniano, escoltados por separatistas pró-russos.

A Ucrânia suspeita que a caravana pode dissimular material militar destinado aos separatistas.

Após quatro meses de combates na região industrial russófona do leste da Ucrânia, a área enfrenta uma crise humanitária. Faltam alimentos, água potável e medicamentos à população.