Última hora

Última hora

Ucrânia mais unida no Dia da Independência

Em leitura:

Ucrânia mais unida no Dia da Independência

Tamanho do texto Aa Aa

A Ucrânia assinala, hoje, o Dia da Independência, mas o ambiente de festa em Kiev é bem diferente daquele que se vive no leste do país.

Este domingo, um hospital foi atingido por um bombardeamento no centro de Donetsk, bastião dos separatistas pró-russos.

O chefe de Estado prometeu, entretanto, canalizar cerca de 2,2 mil milhões de euros para o exército ao longo dos próximos três anos.

“Não queríamos esta guerra, mas fomos forçados a aceitá-la. Preferimos a paz. Essa é a nossa escolha e integra a proposta para Donbass já apresentada em junho” afirma Petro Poroshenko.

Nas ruas de Kiev, reina o sentimento de unidade em tempos de guerra.

“Hoje é um dia de celebração, mas este ano o Dia da Independência não é igual aos anteriores. Penso que o país está hoje mais unido que nunca” refere um homem.

Uma mulher acrescenta: “quero que esta guerra acabe o quanto antes. Quero pedir às pessoas da região de Donbass para que não façam nada que divida a Ucrânia. O país está unido e a Crimeia faz parte da Ucrânia.”

A república da antiga União Soviética que proclamou a independência há 23 anos quer a paz, mas não à custa da integridade territorial.

Kiev não reconhece a anexação russa da Crimeia e já fez saber que a guerra contra os separatistas é para levar até ao fim.

Euronews: “Apesar das criticas pela organização de uma parada militar em tempos de guerra, muitos ucranianos acreditam que o evento é necessário para levantar a moral do país. Muitos destes homens seguem, agora, para o campo de batalha no leste da Ucrânia onde decorre a operação antiterrorista.”