Última hora

Última hora

Ucrânia captura soldados russos e Moscovo alega invasão por engano

Em leitura:

Ucrânia captura soldados russos e Moscovo alega invasão por engano

Tamanho do texto Aa Aa

Os serviços de segurança da Ucrânia revelaram esta terça-feira imagens dos soldados russos capturados durante a noite da véspera em território ucraniano. Este é um caso que promete ensombrar a inédita reunião, em Minsk, na Bielorrússia, entre os presidentes da Ucrânia, Petro Poroshenko, e da Rússia, Vladimir Putin.

Os dez soldados russos foram capturados pelo exército ucraniano numa zona próxima do posto fronteiriço de Novoazovsk, perto de Amvrosivka, na região de Donetsk Oblast – um dos “palcos” onde o conflito com os rebeldes pró-russos tem estado mais aceso.

Os militares russos estão a ser interrogados. Um deles, Ivan Milchakov, contou que o grupo deveria ir “desde a região de Rostov até à vila de Matveyev Kurgan, numa marcha de 70 quilómetros durante três dias em direção à Ucrânia”, mas sem que atravessar a fronteira estivesse, alegadamente, no plano.

“Vocês sabiam que estavam de forma ilegal em território da Ucrânia?”, pergunta alguém, em russo, no vídeo a que tivemos acesso. “Desconfiava, mas só tive a certeza quando nos começaram a bombardear”, respondeu Milchakov, que tem sido identificado nas televisões ucranianas como membro do Regimento de Paraquedistas 331, cuja base se localiza no centro da Rússia.

O ministro da Defesa ucranian disse que, “oficialmente, eles estavam em exercícios militares em vários cantos da Rússia, mas, na realidade”, acusou Valeriy Heletey, os soldados “estavam a participar numa agressão contra a Ucrânia.”

Do lado russo, fontes do ministério da Defesa do Kremlin citadas por agências noticiosas russas alegaram que os militares capturados participavam apenas em exercícios numa região junto à fronteira com a Ucrânia e que terão entrado no país vizinho por engano. As mesmas fontes garantiram que os soldados não ofereceram resistência à ordem de rendição dos militares ucranianos e acrescentaram que já por diversas vezes o inverso aconteceu, com soldados ucranianos a entrar inadvertidamente na Rússia por equívoco.

Este incidente ocorre no mesmo dia, também, em que Kiev acusa Moscovo de estar a tentar criar uma nova frente de combate, ao ter enviado “dezenas de blindados” rumo à cidade Mariupol, no sudeste da Ucrânia. O Kremlin nega a acusação e garante tratar-se da última de uma serie de “desinformações” lançadas pelo Governo ucraniano.

A conclusão deste caso poderá sair da reunião entre Poroshenko e Putin, na capital da Bielorrússia. Ou não.