Última hora

Última hora

Uma vigília pela igualdade racial à porta da Casa Branca

Em leitura:

Uma vigília pela igualdade racial à porta da Casa Branca

Tamanho do texto Aa Aa

As vigílias em homenagem a Michael Brown estão longe de se limitar a Saint Louis. À porta da Casa Branca, em Washington, muitos foram os que vieram chamar a atenção para as questões que a morte do jovem de 18 anos volta a despertar nos Estados Unidos. “Mãos ao ar, não atirem!”, tornaram-se as palavras de ordem. Uma participante nesta concentração afirmava que “há ainda um longo caminho a percorrer no que respeita à igualdade. É, sobretudo, um longo caminho para os imigrantes, para os latinos, para os negros ou para os asiáticos. Um caminho muito longo no que toca a dar as mesmas oportunidades a toda a gente.”

Mais de 4 mil pessoas compareceram ao funeral de Michael Brown, que decorreu esta segunda-feira. Um longo cortejo que marcou um momento de pausa nas manifestações de revolta em Ferguson, aliás como tinha apelado o pai do jovem abatido por um agente de polícia no passado dia 9.