Última hora

Última hora

Turquia: Tayyip Erdogan jura Constituição e já é o Presidente.

Em leitura:

Turquia: Tayyip Erdogan jura Constituição e já é o Presidente.

Tamanho do texto Aa Aa

O até aqui primeiro-ministro da Turquia passou a ser esta quinta-feira, de forma oficial, o 12.° Presidente da república fundada em 1923 por Kemal Atatürk. Primeiro chefe de Estado eleito diretamente pelo povo em 90 anos de história e sucessor de Abdullah Gül, Recep Tayyip Erdogan tomou posse, aos 60 anos, jurando em pleno parlamento de Ancara respeitar a Constituição que, ele mesmo, curiosamente, já avisou pretender alterar para reforçar exatamente os poderes da função que agora assume – por enquanto, as funções do Presidente da Turquia são pouco mais que protocolares.

À distância, numa das tribunas do parlamento, Emine Gülbaran Erdogan, vestida de verde e sempre de véu como manda a lei islâmica, acompanhou a ascensão do marido a Presidente. Emine e Recep casaram a 4 de julho de 1978 e têm quatro filhos: dois casais.

A cerimónia de tomada de posse ficou, ainda assim, manchada pelo protesto e boicote por parte do Partido Republicano do Povo (CHP, na sigla original). O motivo foi o facto de a oposição ter pedido à Assembleia um debate sobre o facto de Erdogan ter permanecido como primeiro-ministro desde a eleição, a 10 de agosto, até à véspera tomada de posse como Presidente. Perante a recusa do Presidente do Parlamento, Cemil Cicek, em abrir essa discussão, os deputados do CHP abandonaram o hemiciclo de forma ruidosa – um livro chegou mesmo a ser atirado e voou pela sala – antes mesmo do juramento de Erdogan, que ficou selado com a entoação do hino turco. O Parlamento da Turquia dá, entretanto, reinicio aos trabalhos a 1 de outubro.

Com uma salva de artilharia de 101 disparos após a tomada de posse, Erdogan também viria, por fim, a deixar o Parlamento para – como manda a tradição – deslocar-se até Anitkabir, o mausoléu em Ancara onde repousam os restos mortais de Kemal Atatürk, o primeiro Presidente e fundador em outubro de 1923 da República da Turquia. Aí, o novo Presidente depositou a habitual coroa de flores. Depois, finalmente, pelas 16h30 (14h30, em Lisboa) realizou-se a cerimónia protocolar da cedência do Palácio Presidencial por Abdullah Gül a Tayyip Erdogan.