Última hora

Última hora

A seleção do Festival de Veneza

Em leitura:

A seleção do Festival de Veneza

Tamanho do texto Aa Aa

“The Look of Silence” de Joshua Oppenheimer é o único documentário em competição no Festival de Cinema de Veneza.

O filme conta a história de uma família indonésia que descobre que os assassinos do filho vivem na vizinhança e decide confrontá-los para saber o que se passou.

“A rodagem do filme foi assustadora. A família teve de mudar de casa por causa do filme e ir viver a milhares de quilómetros de distância no interior da Indonésia”, contou o realizador.

“Não me arrependo de ter feito o filme. Sinceramente, quis fazê-lo, quis ter esses confrontos”, disse um elemento da família.

A película iraniana “Tales” é outro dos vinte filmes em competição pelo Leão de Ouro.

O realizador Rakhshan Bani-Etemad desfilou pelo tapete vermelho com o elenco de atores.

“Tales” reúne uma série de histórias sobre os residentes de Teerão e os seus problemas diários.

A secção “Orizzonti” abriu com outro filme iraniano, “The President”, de Mohsen Makmalbaf, um realizador proibido no Irão.

O filme inspira-se na Primavera Árabe. Gira em torno de um ditador que enfrenta o povo após um golpe de Estado. Uma das personagens é o neto do presidente.

“Pensei no público de 12 anos e em todas as coisas que uma criança de 12 anos não consegue entender e tirei-as do filme porque queria mudar o mundo. Não sou realizador. Sou um ativista pelos direitos humanos. O cinema é apenas um instrumento”, disse Mohsen Makmalbaf.

“Dearest” do realizador chinês Peter Ho-sun Chan conta a história de um casal de Shenzhen cujo filho é raptado. Três anos depois, a criança é encontrada numa aldeia mas já não reconhece os pais.