Última hora

Última hora

Rússia lança gasoduto para a China

Em leitura:

Rússia lança gasoduto para a China

Tamanho do texto Aa Aa

Chama-se “Força da Sibéria”. É com este gasoduto que Vladimir Putin quer reduzir a dependência do gás russo em relação aos clientes europeus, numa altura em que as sanções nos dois sentidos apertam.

O objetivo do gasoduto é levar o gás russo até à China. Os chineses assinaram uma parceria com a Rosneft, que opera os principais campos de gás e petróleo da Sibéria. Segundo os acordos, o Estado chinês pode mesmo vir a tornar-se acionista desses campos.

Para Putin, o gasoduto tem vantagens no comércio externo, mas também interno: “Este novo gasoduto vai permitir não só aumentar as nossas exportações e alargar essas exportações em termos geográficos, como vai também permitir dar um outro passo importante, que tem a ver com as entregas de gás no nosso próprio país, sobretudo no leste da Sibéria e no extremo Oriente”, disse o presidente russo.

A construção da parte chinesa do gasoduto vai começar na primeira metade do próximo ano.

Apesar do otimismo de Putin, aquilo que a Rússia pode vir a vender à China, em termos de gás, representa apenas um quarto do volume que foi vendido à União Europeia e à Turquia no ano passado.

Com o braço-de-ferro em torno da Ucrânia a manter-se e as sanções à Rússia a subirem de tom, Bruxelas continua à procura de um plano B que lhe permita reduzir a dependência em relação ao gás russo.