Última hora

Última hora

Cimeira da NATO: Líderes da Aliança querem renovar esforços para enfrentar novas ameaças

Em leitura:

Cimeira da NATO: Líderes da Aliança querem renovar esforços para enfrentar novas ameaças

Tamanho do texto Aa Aa

A Ucrânia e o auto-proclamado “Estado Islâmico” dominam a cimeira da NATO que decorre em Gales. Logo no início da reunião, o secretário-geral Anders Rasmussen declarou mesmo que esta é uma das “cimeiras mais importantes das nossas vidas”
Discurso semelhante ao do anfitrião, David Cameron. O primeiro-ministro britânico lembra que “as tropas russas estão de forma ilegal na Ucrânia. A ameaça do extremismo islâmico cresce no Iraque e na Síria. Estas são apenas duas das ameaças que enfrentamos. A NATO é a nossa âncora, a nossa segurança e nos próximos dois dias devemos renovar esta aliança para enfrentar estas novas ameaças de forma a garantir a estabilidade no mundo.”

Para esta cimeira foi convidado o presidente ucraniano. Petro Poroshenko está confiante que o processo de paz entre em marcha nas próximas horas durante as reuniões que do chamado Grupo de Contacto para Ucrânia, que vão decorrer em Minsk, na Bielorrússia. O chefe de Estado garantiu mesmo que “se se confirmar e o encontro acontecer mesmo, vou dar ordens ao chefe das forças armadas para avançar com cessar fogo bilateral. Espero que a implementação do processo de paz avance esta sexta-feira.”

Nesta cimeira da NATO, deve ainda ser discutida a retirada das tropas internacionais do Afeganistão depois de 12 anos de guerra, para além da formação que deve ser dada às forças de segurança do país já no próximo ano.