Última hora

Última hora

Jovem yazidi raptada e vendida escapa a extremistas do Estado Islâmico

Em leitura:

Jovem yazidi raptada e vendida escapa a extremistas do Estado Islâmico

Tamanho do texto Aa Aa

Chama-se Somaa, tem 14 anos, foi raptada, vendida e conseguiu escapar para contar uma experiência que preferia esquecer.

Natural do Curdistão iraquiano foi sequestrada pelos fundamentalistas do Estado Islâmico por causa da religião.

A jovem yazidi conta como tudo aconteceu.

“Naquela manhã fugimos da nossa aldeia, Tel Azer. Partimos em direção a outra localidade, mas pouco depois fomos apanhados por um grupo de terroristas. Dividiram-nos em três grupos: um composto por mulheres solteiras, outro por mulheres mais velhas e um terceiro por homens. As pessoas deste último grupo foram todas mortas. Vi o meu irmão morrer.” afirma Somaa.

Passou 27 dias em cativeiro. Uma porta mal trancada permitiu-lhe escapar, juntamente, com outra jovem antes de partir para Faluja, a cerca de 70 quilómetros de Bagdade.

“A minha amiga e eu fomos vendidas a dois importantes homens de Faluja. Creio que tinham a idade do meu pai. Fomos maltratadas. Batiam-nos caso fizéssemos algo de errado ou que não era suposto fazer” conclui.

Muitas mulheres raptadas pelos radicais estão a ser usadas como escravas, outras forçadas a casar com radicais.