Última hora

Última hora

Dia da Catalunha em clima de tensão política

Em leitura:

Dia da Catalunha em clima de tensão política

Tamanho do texto Aa Aa

A celebração do Dia da Catalunha acontece, esta quinta-feira, num contexto de grande tensão política. Para 9 de novembro está previsto um referendo, não reconhecido pelas autoridades nacionais e que, para já, não é mais do que uma vontade de independência, das autoridades catalãs que criticam o executivo de Madrid:

“Aproveito este ato solene para lembrar o Estado espanhol que ainda está a tempo de ouvir o clamor, pacífico e democrático, destas pessoas”, afirmou Artur Mas, o Presidente do Governo catalão.

A questão que se coloca é ser ou não ser independente… Em Barcelona, as opiniões dividem-se:

“Eu sempre fui independentista, para dizer a verdade, nunca me considerei espanhola”, diz uma mulher, natural de Barcelona.

“Nem todos somos a favor da independência. Eu sou de Málaga, os meus pais eram da Andaluzia mas eu considero-me catalão”, afirma um outro habitante da cidade.

O Governo espanhol tem dito, repetidamente, que o referendo é ilegal e que não vai permitir que ele ocorra. Espera-se, aliás, que a decisão seja remetida para o Tribunal Constitucional que, provavelmente, não o aprovará:

“Faltam menos de dois meses para a data prevista para o referendo e ninguém sabe se as urnas vão sequer chegar às assembleias de voto no próximo 9 de novembro. O Presidente do governo da Catalunha terá de decidir se leva a cabo a consulta, mesmo que o Tribunal Constitucional a vete”, explica a correspondente da euronews, Cristina Giner.