Última hora

Última hora

"Orgulho": Thatcher, gays e mineiros

Em leitura:

"Orgulho": Thatcher, gays e mineiros

Tamanho do texto Aa Aa

“Orgulho” desenrola-se no verão de 1984 em Inglaterra. Margaret Thatcher dirige o país. O sindicato dos Mineiros está em greve.

Durante a marcha de Orgulho Gay em Londres, um grupo de ativistas homossexuais decide ajudar as famílias dos mineiros, apesar do embaraço dos sindicatos.

A comédia realizada por Matthew Wartchus conta com Bill Nighy e Andrew Scott nos papéis principais.

“Se me perguntarem, a mim ou a uma pessoa da minha geração qual é o acontecimento mais importante a que eu assisti na minha vida, penso que muitas pessoas vão falar da emancipação dos homossexuais e das mulheres e o movimento dos direitos civis nos Estados Unidos. São coisas que nos deixam orgulhosos pelo facto de termos participado nesses eventos. O filme tem a ver com isso e fá-lo num registo de entretenimento. Há também a questão da greve dos mineiros, nessa altura não havia informação credível sobre isso”, disse Bill Nighy.

“Fechámos a ponte de Westminster e foi fantástico.
Filmámos num domingo de manhã e foi comovente. Foi no mesmo dia em que militantes gays desfilaram há trinta anos. Pode ter sido estranho reviver acontecimentos destes mas para eles deve ter sido extraordinário. Os grafistas do filme fizeram um trabalho fantástico e usaram fotografias e vídeos que as pessoas dessa época lhes deram e voltar a ver tudo isso foi algo impressionante e muito comovente”, contou Andrew Scott.

“Orgulho” chega às salas de cinema portuguesas a 23 de outubro.