Última hora

Última hora

Dietas: Um negócio de peso

Em leitura:

Dietas: Um negócio de peso

Tamanho do texto Aa Aa

Mais de metade da população adulta da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) tem problemas de peso ou é obesa. Números que preocupam as autoridades de saúde, mas que fazem as delícias de empresários no setor da alimentação saudável.

É o caso de uma empresa húngara, Update 1 que vende produtos sem açúcares e com baixo teor de gordura e de hidratos de carbono. A empresa acaba de entrar na bolsa de Budapeste. O objetivo é juntar dois milhões de euros para financiar a expansão.

Depois de ter conhecido problemas de peso, Norbert Schobert, fundador da Update 1, afirma: “Criamos a empresa a partir do nada e já temos lojas em três países. Duplicamos o número de lojas, anualmente. Por isso, penso que a companhia não deve depender ou desenvolver-se com base em empréstimos ou ajudas públicas, porque temos verdadeiros resultados no mercado. Acredito que é uma boa oportunidade para o envolvimento dos investidores e para crescer”.

Com 112 lojas em três países, a empresa lança-se à conquista da Europa, com a ajuda do antigo campeão de ténis, André Agassi.

Nas próximas semanas, vai abrir lojas na Áustria, Inglaterra, Roménia e Sérbia.

Para já Agassi dá apenas a cara, mas não descarta uma eventual parceria no negócio: “O que vamos fazer a partir daqui será um reflexo desta rampa de lançamento. Eu não estaria aqui senão acreditasse na ideia. Penso que não me querem aqui apenas por um período, mas preciso de ser paciente e ter a certeza de que fazemos as coisas da forma correta”.

Países como Dinamarca, Hungria ou França criaram impostos especiais para refrigerantes e alimentos com elevadas taxas de açúcar e gordura. A OCDE estima, atualmente, que a obesidade é responsável por 1% e 3% dos gastos na área da saúde dos países.

A jornalista Beatrix Asboth recorda que “segundo as estatísticas da OCDE, o número de pessoas com excesso de peso triplicou nos últimos 30 anos. Se a tendência se mantiver duas em cada três pessoas terão problemas de peso em 2020. Para as empresas que oferecem produtos dietéticos o mercado está em constante expansão”.