Última hora

Última hora

Acordo UE-Ucrânia: Celebrado em Kiev; lamentado em Moscovo

Em leitura:

Acordo UE-Ucrânia: Celebrado em Kiev; lamentado em Moscovo

Tamanho do texto Aa Aa

Dia histórico em Kiev e reações amargas em Moscovo após a ratificação pelo parlamento ucraniano do Acordo de Associação com a União Europeia. Uma cerimónia “sem precedentes” realizada em simultâneo com a votação no Parlamento Europeu.

Em Kiev, os 355 deputados presentes votaram a favor da ratificação do acordo e a alegria tomou conta das bancadas.

Em Moscovo, nas fileiras dos apoiantes do presidente russo não há surpresa. O deputado Nicolai Valuyev, do partido Rússia Unida, afirma: “Estávamos todos preparados para isto. A Rússia esperava até ao último momento que a Ucrânia não quisesse destruir a base económica em que vive, mas a julgar pelos sinais provenientes de Kiev não há lógica nas decisões que tomam”.

Franz Klintsevich, do mesmo partido, constata: “Assim que esses acordos forem aprovados seremos forçados a fechar as nossas fronteiras para muitas mercadorias, porque entendemos claramente que os produtos de alta qualidade e baratos da Europa não serão capazes de competir com os produtos ucranianos ou russos.”

Apesar da ratificação do acordo, a entrada em vigor de uma das suas cláusulas mais importantes foi adiada para Janeiro de 2016. A decisão de adiar a parte do acordo sobre o comércio livre entre a Ucrânia e os países da União Europeia foi tomada em conjunto com a Rússia, no final da semana passada.