Última hora

Última hora

Rússia: Os efeitos do caso Yevtushenkov

Em leitura:

Rússia: Os efeitos do caso Yevtushenkov

Tamanho do texto Aa Aa

O grupo russo Sistema terá perdido 5,5 mil milhões de dólares em poucas horas na bolsa, depois do patrão Vladimir Yevtushenkov ter sido colocado em prisão domiciliária. As autoridades acusam-no de lavagem de dinheiro na compra da petrolífera Bashneft.

Em Moscovo, as ações do grupo afundaram mais de 30% e, em Londres, ainda mais.

Os analistas temem ver repetir-se a história da Iukos, a petrolífera desmantelada após a detenção do patrão há cerca de uma década, e consideram que este caso degrada ainda mais o clima de investimento na Rússia.

Vladimir Yevtushenkov, 65 anos, é o 15° homem mais rico da Rússia, segundo a Forbes, com uma fortuna estimada em 9 mil milhões de dólares. Possui 64% do conglomerado Sistema, que detém ativos como a operadora móvel MTS, a maior da Rússia, ou a petrolífera Bashneft, que é atualmente uma das poucas que não está nas mãos do Estado russo.

O grupo Sistema considera as acusações contra Yevtushenkov “sem fundamento”

Mikhail Khodorkovsky, antigo patrão da Iukos e libertado em dezembro após 10 anos de prisão, acusa Igor Setchine, presidente da Rosneft e aliado de Putin, de estar por detrás das acusações para poder absorver os ativos petrolíferos do conglomerado Sistema.

A Rosneft rejeita as acusações.