Última hora

Última hora

Salmond: o rosto da defesa da independência da Escócia

Em leitura:

Salmond: o rosto da defesa da independência da Escócia

Tamanho do texto Aa Aa

Alexander Elliot Anderson Salmond, nascido em 1954 em Linlithgow, cidade perto de Edimburgo, é um homem político que não deixa ninguém indiferente.
O líder do partido nacional escocês (SNP) formou-se na Universidade de Saint Andrews e começou a trabalhar como economista até entrar no Royal Bank da Escócia.
Viveu os momentos mais difíceis do partido, e chegou a ser expulso, em 1982, mas a capacidade de trabalhador incansável e a ambição levaram-no a Westminster e mais tarde ao poder no parlamento escocês, em maio de 2007, como primeiro-ministro. Um evento histórico para os nacionalistas, que venceram as eleições de maio, em 2011, desta vez com maioria absoluta.
A porta principal estava aberta. Alex Salmond conseguiu o apoio escrito do primeiro-ministro britânico, David Cameron, para a realização de um referendo sobre a independência escocesa, conhecido por Acordo de Edimburgo.
Numa das suas célebres biografias (“Salmond contra as probabilidades”), o jornalista e historiador David Torrance afirma que Salmond é um déspota bastante agressivo, um oportunista, populista e camaleão.
Mas Salmond é também um showman, capaz de se bater com os políticos vindos de Londres, como Alestair Darling, membro do partido trabalhista britânico, líder da campanha do não â Independência.
Salmond venceu o segundo debate e baralhou as sondages com um discurso apaixonado.
Alex Salmond, no debate de 6 de agosto:
“- O caso para a independência depende de um simples princípio: ninguém, absolutamente ninguém de fora vai governar o país e conhecer melhor a população que vive e trabalha na Escócia. Tal como em 1979, as vozes da desgraça dizem-nos que não somos capazes, que não faremos o que todos os outros fazem e garantem com justiça, mas essas vozes estão enganadas.”
Alex Salmond promete um futuro radioso para a Escócia.