Última hora

Última hora

Joanna Gill: "No fim, o que interessa é que a Escócia fica com mais poderes"

Em leitura:

Joanna Gill: "No fim, o que interessa é que a Escócia fica com mais poderes"

Tamanho do texto Aa Aa

Sarah Chappell – “Para saber mais sobre esta votação histórica, estamos em duplex com a correspondente da euronews em Edimburgo, Joanna Gill.
A campanha do não ganhou, durante uma noite dramática de declarações para a Escócia. A afluência às urnas foi enorme, mas o resultado é claro. Como se desenrolou a história ao longo da noite? “

Joanna Gill – Bem, no início da noite, houve uma viragem no lado do SIM, quando Clack Mananshire que era considerado um local seguro para a votação no SIM, votou esmagadoramente Não. Em Glasgow, que era tida como praça segura para o SIM, o voto para Alex Slamond, foi confirmado e depois Dundee também teve um grande resultado, 57%, a favor da independência, mas, em seguida, em Edimburgo, houve uma tendência inequívoca para o Não e para que a escócia continuasse no Reino Unido.

Sarah – As sondagens do Sim e do Não neste referendo foram sempre renhidas. Como comparas as campanhas?

Jo – Foi muito interessante, especialmente na última semana, qaundo uma sondagem deu o SIM como vencedor e possuidor de uma mensagem mais posituva. A campanha do Não, ao falar do futuro, era mais negativa, tendo sido mesmo acusada de alarmista e causar medo ao falar sobre o futuro de uma Escócia independente. A questão dos preços e do serviço de saúde esteve sempre presente. Mas afinal, foram os 10% de indecisos que fecharam as discussões.

Sarah – Isso mesmo. O resultado não é bem o que as sondagens previam, mas havia famílias divididas…como é que a comunidade se vai reconciliar?

Jo – felizmente, o desafio não vai ser assim tão grande. Registaram-se algumas críticas mais duras em redes sociais mas isoladas. No terreno estao tranquilos. Ontem à noite, no parlamento escocês, havia uma atmosfera muito feliz entre o Sim e o Não à independência, por isso espero que assim continue e a reconciliação seja mais fácil.
No fim, o que interessa é que a Escócia fica com mais poderes.

Sarah – Os principais partidos britânicos ofereceram aos escoceses ainda mais poderes para manter a União, será que os nacionalistas ainda podem considerar ter obtido uma vitória?

Jo – Os nacionalistas já reivindicam a vitória nos números da afluência às urnas. Alex Salmond, apesar de admitir a derrota, disse que a vitória principal era a da democracia participativa. Afinal, há uma agenda de compromissos da automomia fiscal prometida.