Última hora

Última hora

A arte do chocolate contada num novo museu em Bruxelas

Em leitura:

A arte do chocolate contada num novo museu em Bruxelas

Tamanho do texto Aa Aa

A confecionar mais de 170 mil toneladas de produtos de chocolate por ano, a Bélgica sabe muito sobre esta arte. Para partilhar algum desse conhecimento, acabou de abrir, em Bruxelas, um novo museu.

No dia da inauguração, a correspondente da euronews Efi Koutsokosta perguntou a um chocolateiro “qual é o segredo da sua receita”, mas este respondeu que “isso não se revela. As pessoas vão provar. Mas acho que o nosso segredo é confecioná-lo bem”.

Denominado Aldeia do Chocolate Belga, o museu é destinado a miúdos e graúdos, com exposições mais tradicionais, mas também com jogos interativos.

Situa-se na antiga fábrica Vitória – onde em tempos 1500 pessoas produziam esta gulodice – e foram precisos nove anos e quase 2,5 milhões de euros para a transformar.

A correspondente da euronews refere que “desde a história à forma de fabrico do chocolate belga original, tudo se pode aprender na cozinha no interior do museu, além de dar uma ajuda e, claro, provar”.

Os cursos são uma das principais atrações para quem fique tentado a tornar-se chocolateiro depois de aprender tudo sobre a história, as variedades, os usos e as técnicas.

O chocolateiro profissional Maxime Pliester refere que “a base de tudo está numa particularidade muito especial que é um processo industrial de raspagem e mistura dos grãos de cacau. É um segredo da indústria belga, é o segredo do chocolate belga”.

O visitante pode ver, ainda, uma estufa onde crescem variedades da planta de cacau e outras espécies vindas, sobretudo, dos continentes africano e sul-americano.

Philippe Pivin, autarca de Koekelberg (freguesia da capital onde fica o museu), diz que “este museu é uma aventura apaixonante que agora começa. É um barco novo que se fez ao mar e espero que navegue até muito longe”.

E, naturalmente, não podia faltar uma loja para adquirir bombons, tabletes e bebidas, com a oportunidade de degustar marcas muito conhecidas e outras mais artesanais.

Um dos visitantes promete “dizer aos meus amigos na Hungria que, se tiverem tempo de visitar a Bélgica, em particular Bruxelas, não podem deixar de visitar este museu”.

Uma visitante local acrescenta que “na Bélgica, adoramos chocolate. E o chocolate belga é o melhor do mundo. Isto costumava ser uma fábrica onde se fazia muito bom chocolate. Eu desconhecia isso, mas é realmente emocionante”.

No final convém ter em conta os efeitos negativos de demasiado consumo de chocolate, ou talvez fique para outro dia!