Última hora

Última hora

Férias ilimitadas, versão Richard Branson

Em leitura:

Férias ilimitadas, versão Richard Branson

Tamanho do texto Aa Aa

Quem não sonha com férias ilimitadas? E bem, o sonho pode tornar-se realidade, pelo menos para algumas pessoas.

O milionário britânico Richard Branson==anunciou no seu blog==, que essa hipótese existe no grupo Virgin.

Branson escreve que “os funcionários podem tirar férias quando e o tempo que quiserem, sem precisar de autorização prévia e sem terem de dar contas do tempo que estiveram ausentes”.

Mas a medida não é para todos.

As férias ilimitadas são apenas para as 170 pessoas que fazem parte da sua equipa pessoal, nos Estados Unidos e no Reino Unido, e mediante condições.

A ausência não deve penalizar a empresa, o trabalho ou a carreira: “Cabe ao funcionário decidir se e quando precisa de tirar algumas horas, um dia, uma semana ou um mês de férias, com a condição de que o faça quando estiver 100% seguro de que ele/ela e a sua equipa têm todos os projetos em dia e que a ausência não vai provocar quaisquer danos à empresa (….)”

O patrão do grupo Virgin reconhece que a ideia não é sua. Foi-lhe sugerida pela filha Holly, após a leitura de um artigo num jornal que falava da política de férias no seio da empresa norte-americana Netflix.

Richard Branson considera a ideia como “a mais simples e inteligente” que ouviu em muito tempo. E pergunta: “Devido às novas tecnologias, as empresas já não contam o tempo que o funcionário trabalha fora dos horários de serviço, porque devem contar o tempo em que estão ausentes?”.

Mas a iniciativa origina outro género de debate. A ideia de férias ilimitadas não poderá vir a jogar com os sentimentos de culpa e de rivalidade dos funcionários?