Última hora

Última hora

Tudo o que precisa de saber sobre a Ryder Cup

Em leitura:

Tudo o que precisa de saber sobre a Ryder Cup

Tamanho do texto Aa Aa

É o torneio que transforma um desporto essencialmente individual numa emocionante competição por equipas ao mais alto nível.

Uma batalha bienal que dura três dias entre os 12 melhores golfistas dos Estados Unidos e os 12 melhores da Europa.

Se ainda não adivinhou, trata-se da Ryder Cup, cuja 40ª edição está marcada para este fim de semana em Gleneagles, na Escócia.

Como se joga?
Contrariamente à maioria dos torneios de golfe, a Ryder Cup é jogada em match play. Trata-se de um sistema em que cada jogador, ou equipa, soma um ponto por cada buraco que vence.

Qualquer duelo é disputado num máximo de 18 buracos mas nem todos chegarão ao fim. Uma equipa pode facilmente vencer mais buracos do que aqueles que faltam disputar, impossibilitando a recuperação do adversário.

Na Ryder Cup jogam-se três fórmulas diferentes de match play: Fourballs, Foursomes e Singulares. Mas o que é que isso significa?

Um desafio de fourballs consiste em duas equipas de dois jogadores em competição direta. Cada golfista tem a sua própria bola e quem precisar de menos pancadas para completar o buraco garante um ponto para a sua equipa. Em caso de igualdade, cada equipa recebe meio ponto.

Ao fim do dia, o par que vencer mais buracos garante um ponto para a equipa inteira. Caso persista uma igualdade ao fim dos 18 buracos, meio ponto para a Europa e meio ponto para os Estados Unidos.

Foursomes, ou jogo alternado, envolve equipas de dois jogadores mas apenas uma bola por par. Um dos golfistas começa nos buracos pares, o companheiro de equipa nos ímpares.

Os dois jogadores vão alternando pancadas, usando a mesma bola, até completar o buraco. O par que o fizer em menos pancadas ganha o buraco.

Os primeiros dois dias de competição consistem em quatro desafios de fourballs de manhã e quatro de foursome à tarde, o que quer dizer que alguns golfistas só entrarão em ação nos singulares do último dia.

Os desafios de singulares normalmente têm um papel decisivo na atribuição do troféu. A fórmula é simples, um europeu e um americano frente a frente, num total de doze duelos.

Todos os golfistas participam nos singulares, nos fourballs e foursome é o capitão que decide quem joga e a formação dos pares.

Quem é quem em cada equipa
A constituição das equipas na Ryder Cup revela-nos a verdadeira elite do golfe mundial.

O número um do mundo Rory McIlroy é o cabeça de cartaz da seleção europeia mas convém estar atento a Ian Poulter, que tem 80% de vitórias nos desafios da Ryder Cup.

Paul McGinley é o capitão da equipa, o primeiro irlandês a comandar a equipa europeia na competição que venceu por três vezes como jogador.

Os Estados Unidos são liderados pelo fantástico e imprevisível Bubba Watson, enquanto Phil Mickelson e Jim Furyk são garantia de experiência em Gleneagles.

O capitão é o lendário Tom Watson, que aos 65 anos de idade regressa ao comando da equipa para tentar repetir o triunfo de 1993 em Belfry, o último dos Estados Unidos em território europeu.

Apesar dos Estados Unidos liderarem com 25 triunfos na Ryder Cup, a Europa venceu sete das nove últimas edições e basta-lhe um empate para manter o troféu.

A equipa do Velho Continente conta com quatro dos seis melhores golfistas do planeta, Rory McIlroy, Sergio García, Henrik Stenson e Justin Rose. Jim Furyk é o melhor norte-americano na quarta posição do ranking mundial.

A avaliar pelo estado de forma atual dos jogadores, a Europa deverá festejar o terceiro título consecutivo no próximo domingo. Mas se há algo que as edições anteriores nos ensinaram, foi que não há vencedores antecipados nesta emocionante batalha bienal que é a Ryder Cup.