Última hora

Última hora

Rússia defende inclusão da Síria na coligação anti jihadista

Em leitura:

Rússia defende inclusão da Síria na coligação anti jihadista

Tamanho do texto Aa Aa

Na tribuna das Nações Unidas, o intervencionismo militar norte-americano no mundo mereceu duras críticas por parte do ministro dos Negócios Estrangeiros russo.

Serguei Lavrov acusa que as “intervenções militares se tornaram regra apesar do resultado lamentável das operações realizadas pelos Estados Unidos nos últimos anos no Iraque, na Líbia ou ainda no Afeganistão.

“A luta contra o terrorismo deve basear-se no direito internacional. As tentativas de agir contra a Carta da nossa organização não pode ajudar ao sucesso dos nossos esforços conjuntos. A luta contra o terrorismo em território sírio deve ser construída em cooperação com o governo sírio, que claramente anunciou a sua disponibilidade”.

A Rússia, apoiante indefetível da Síria, considera que o Governo de Bachar al Assad deve ser associado à atual coligação contra os ‘jihadistas’.

“ O Ocidente tomou a direção de estruturar a humanidade segundo as suas normas, que estão longe de serem inofensivas. Depois de os EUA e UE terem reivindicado a vitória na Guerra Fria e anunciado o início do chamado “fim da história” visam a ampliação do espaço geopolítico, sem ter em conta o equilíbrio dos interesses jurídicos de todos os países”.

Os Estados Unidos, aliados a uma coligação de vários países, nomeadamente árabes, estão a levar a cabo desde o início da semana ataques aéreos contra pontos estratégicos da organização jihadista em território sírio. Estão igualmente a bombardear posições no Iraque desde o início de agosto.