Última hora

Última hora

Bélgica: julgamento de grupo islamita acusado de enviar militantes para a Síria

Em leitura:

Bélgica: julgamento de grupo islamita acusado de enviar militantes para a Síria

Tamanho do texto Aa Aa

A justiça belga iniciou hoje (segunda-feira) aquele que é o maior processo realizado no país contra uma organização suspeita de terrorismo islamita.

Quarenta e seis pessoas, entre as quais o líder do grupo “Sharia4Belgium”, Fouad Belkacem, respondem frente à barra do tribunal, em Antuérpia, das acusações de incitação ao terrorismo e de recrutamento, treino e envio de jovens muçulmanos radicalizados para a Síria.

Os suspeitos, todos associados ao “Sharia4Islam” e com alegadas ligações ao grupo armado Estado Islâmico, incorrem numa pena de até 15 anos de prisão.

Na base do processo está a queixa de um jovem de 19 anos, Jejoen Bontick, que se apresenta como vítima da organização, depois de ter sido detido em 2013, quando regressava da linha da frente dos jihadistas na Síria.

Segundo os advogados de acusação cerca de 10% dos 300-400 belgas enviados para o combate na Siria, ao lado da Frente Al-Nousra e do grupo Estado Islâmico, seriam membros da organização “Sharia4Belgium”.

O pai de Bontick afirma, “não estou preocupado com a situação do meu filho pois neste processo ele é considerado suspeito mas também vítima, e o procurador tem provas coerentes, mas o mais importante é que o meu filho é também uma testemunha crucial no processo. Por isso não tenho qualquer receio deste processo”, afirma Dimitri Bontick.

O julgamento, que inicialmente deveria durar apenas dois dias, deverá arrastar-se por várias semanas, quando a defesa deverá exprimir-se no próximo dia 8 de outubro.

Trata-se da primeira vez que um grupo alegadamente islamita é julgado por enviar combatentes para o estrangeiro, desde a aparição do grupo armado Estado Islâmico na Síria e no Iraque.