Última hora

Em leitura:

Alarmes desligados na Casa Branca permitiram maior tentativa de intrusão de sempre


EUA

Alarmes desligados na Casa Branca permitiram maior tentativa de intrusão de sempre

A segurança da Casa Branca volta a ser posta em causa por novas revelações sobre a tentativa de intrusão de há duas semanas.

Segundo o jornal Washington Post, o veterano da guerra no Iraque, Omar Gonzalez, teria conseguido atingir a sala leste da residência oficial do presidente norte-americano, depois de ter saltado a vedação no dia 19 de setembro.

O jornal afirma que os alarmes à entrada da Casa Branca teriam sido desligados a pedido dos funcionários que se queixavam do ruído.

Informações que contradizem os serviços secretos, segundo os quais, Gonzalez, que transportaria uma arma branca, teria sido detido antes de entrar no edifício.

As revelações deverão dominar, esta terça-feira, a audição da responsável dos serviços secretos, Julia Pierson, na investigação levada a cabo pelo Congresso.

Pierson tinha anunciado na semana passada o reforço da segurança no edifício após a tentativa de intrusão de Gonzalez, cujas motivações permanecem desconhecidas.

O Washington Post tinha revelado, no fim de semana, um ataque até hoje encoberto pelos serviços de segurança, quando um homem disparou sobre o edifício, em 2011, atingindo uma zona no segundo andar da Casa Branca, próxima da sala de estar da família presidencial.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

Artigo seguinte

mundo

Hong Kong: Governo regional pede suspensão das manifestações pró-democracia