Última hora

Em leitura:

Hong Kong: Retalhistas afetados pelos protestos


economia

Hong Kong: Retalhistas afetados pelos protestos

Os protestos em Hong Kong pesam sobre a economia do território.

O turismo e o comércio representam 10% do PIB de Hong Kong, mas em semana de longo feriado na China, os manifestantes pró-democracia ocupam a zona mais popular para compras.

As viagens ao território estão a ser anuladas, os bancos encerraram e grandes marcas de joalharia, moda e cosmética fecharam as portas por precaução, perdendo importantes receitas.

Na chamada “Semana dourada”, durante a festa nacional na China, entre 30 e 60 mil chineses viajam até Hong Kong. O gabinete de turismo do território estima que cada um gaste, em média, cerca de mil euros durante a visita.

Com menos visitantes, o impacto económico será sentido também por hotéis, bares e restaurantes.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

tradução automática

Artigo seguinte

economia

França recusa austeridade