Última hora

Última hora

Japão: Buscas de vítimas do vulcão no Monte Ontake suspensas pelo mau tempo

Em leitura:

Japão: Buscas de vítimas do vulcão no Monte Ontake suspensas pelo mau tempo

Tamanho do texto Aa Aa

Ventos fortes e denso nevoeiro obrigaram as equipas de resgate a suspender as buscas de mais vítimas da erupção do último sábado no vulcão do Monte Ontake, no Japão. A paragem não é definitiva, mas os responsáveis entendem não estar reunidas de momento as condições para prosseguir a operação realizada por elementos das Forças de Defesa do Japão.


“Até agora, concentrámos as nossas buscas por vítimas na verificação visual do local e em traze-las de volta. A partir de agora, vamos ter de alargar o raio de ação em busca de vítimas que possam ter ficado soterradas ou cobertas pelas cinzas”, afirmou, em conferência de imprensa realizada esta sexta-feira, Ikuo Aoyagi, o responsável pelo quartel-general do departamento de Coordenação de Desastres da província de Nagano, onde se situa o Monte Ontake.


A erupção ocorreu no último sábado sem qualquer aviso prévio pelas autoridades nipónicas de vigilância vulcânica. Centenas de montanhistas foram surpreendidos quando caminhavam pelas encostas do Ontake e ficaram presos face à chuva de rochas e cinzas que se abateu sobre a zona. Cerca de 250 pessoas conseguiram sair com vida das encostas do monte – pelo próprio pé ou evacuadas pelas equipas de resgate.


De acordo com as autoridades locais, até ao momento foram localizadas 47 vítimas mortais e pelo menos 16 pessoas continuam desaparecidas. Suspeita-se que o número de desaparecidos possa ser superior.


O clima adverso é, agora, o grande obstáculo das equipas de resgate no Monte Ontake, a que se pode ainda somar um tufão, que, de acordo com as previsões, embora ainda longe, está na rota daquela região e que poderá provocar também fortes chuvas e motivar uma suspensão mais demorada das operações de busca.


O Monte Ontake integra o segundo vulcão mais alto do Japão. Tem 3067 metros, localiza-se no centro do país, a cerca de 100 quilómetros da cidade de Nagoza, e voltou a expelir rochas incandescentes e cinzas 35 anos depois da última grande erupção: na altura (1979), o vulcão libertou 200 mil toneladas de cinzas. Em 1991 e 2007 registaram-se também erupções no Monte Ontake, mas de menor escala.

O Japão está localizado sobre o Anel de Fogo do Pacífico e, em consequência, possui mais de uma centena de vulcões ativos e latentes.

*ÚLTIMA HORA