Última hora

Última hora

Os segredos da milenar Samarcanda

Em leitura:

Os segredos da milenar Samarcanda

Tamanho do texto Aa Aa

A escolha da cidade milenar de Samarcanda para acolher a reunião da Organização Mundial do Turismo (OMT) da ONU no início de outubro tem vários fundamentos. Em 2001, aquela que é considerada a segunda cidade mais importante do Uzbequistão, um ponto histórico da Rota da Seda, entrou para a lista do Património Mundial da UNESCO.

O fórum de turismo ficou marcado pelas palavras do presidente uzbeque, Islam Karimov, que salientou a importância da estabilidade política para um setor que tem debatido, por exemplo, a necessidade de facilitar a emissão de vistos. Taleb Rifai, secretário-geral da OMT, afirma que “o turismo é um setor muito importante, uma atividade crucial para as pessoas. Aliás, hoje em dia, creio que ainda é subestimada a importância que pode ter, os benefícios que pode trazer, os rendimentos, a criação de emprego. Esta mensagem de levar o turismo a sério serviu para abrir os olhos de alguns decisores.”

Para o país anfitrião, este encontro trouxe mais oportunidades de investimento, como realça Farrukh Rizaev, ministro do Turismo: “As organizações presentes nesta conferência em Samarcanda vão abrir o caminho para atrair mais turistas ao Uzbequistão, sobretudo para esta região. Mais importante ainda: vão abrir caminho para um público mais alargado que poderá entender o significado do projeto da “‘Rota da Seda’”.

O mercado local, o Bazar de Samarcanda, é um dos principais motivos de orgulho. Facilmente se encontra quem garanta que estes são os produtos mais saborosos do mundo. A verdade é que só aqui se pode comprar o “tyubeteika”, um chapéu tradicional. Foi o que fez um jovem casal que veio do México e que sublinha que “este é um local muito místico. Há muito para ver. E se houver tempo e dinheiro, o regresso é uma certeza.”