Última hora

Última hora

Líderes europeus debatem desemprego e austeridade em Milão

Em leitura:

Líderes europeus debatem desemprego e austeridade em Milão

Tamanho do texto Aa Aa

A conferência europeia sobre o emprego, hoje, em Milão é a ocasião para um confronto entre apoiantes e opositores da política de austeridade.

O encontro reúne cerca de 20 chefes de Estado e de Governo. Nas ruas, o sindicato italiano dos metalúrgicos juntou centenas de manifestantes. Um protesto contra a reforma laboral do primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, que inclui maior facilidade de despedimento dos trabalhadores.

Um dos manifestantes afirma: “Se continuamos com a política de austeridade, o sul da Europa será massacrado. Vimos o que aconteceu em Espanha, com a lei laboral de Rajoy. Hoje, como não podemos desvalorizar a moeda, desvalorizamos o trabalho. Há uma corrida aos baixos salários, será uma guerra entre os mais pobres”.

Outros acrescentam: “Significa que somos todos precários. É o grande problema”, “há outros interesses, não os dos jovens nem do emprego no futuro”, “a culpa é dos políticos, dos que governaram sem uma política industrial, que fizeram Itália falhar”.

O desemprego juvenil estava na agenda do encontro informal, mas os debates deverão centrar-se na situação económica.

Itália e França pedem medidas para relançar a economia, enquanto a Alemanha continua a dizer não.

Sobre as manifestações em Milão, a jornalista Margherita Sforza fala de “um protesto contra a austeridade e contra a precariedade. Um protesto que coloca o governo de Renzi em dificuldade, quando a Europa pede mais reformas estruturais a Itália”.