Última hora

Última hora

O Nobel da literatura "irreal e abstrato" de Patrick Modiano

Em leitura:

O Nobel da literatura "irreal e abstrato" de Patrick Modiano

Tamanho do texto Aa Aa

“Irreal e um pouco abstrato”, foi com uma surpresa mais do que evidente, que o escritor francês, Patrick Modiano, se juntou à lista dos 110 autores mundiais premiados com o Nobel da Literatura.

Comparado a um “Marcel Proust” dos tempos modernos pela Academia Sueca, o 11o escritor francês a ser homenageado com um prémio Nobel, reagiu assim, em Paris:

“Somos sempre prisioneiros do que escrevemos, não podemos nunca ser os nossos próprios leitores e temos sempre uma visão um pouco confusa dos livros que escrevemos. Tenho muita curiosidade em saber as razões pelas quais tive a honra de ser escolhido”, afirmou Modiano.

A Academia sueca justificou a decisão com a forma como o escritor, “evocou e revelou a vida quotidiana sob a ocupação nazi e os destinos humanos mais trágicos”.

Modiano, que afirma, “ter passado a vida a escrever o mesmo livro”, publicou recentemente em França, a novela “Para que não te percas no meu bairro”.

Uma nova obra numa carreira de 46 anos de escrita influenciada pela segunda guerra mundial e iniciada em 1968 com a obra “La Place de l‘Étoile”.