Última hora

Última hora

Queda de Kobani pode originar nova onda de violência na Turquia

Em leitura:

Queda de Kobani pode originar nova onda de violência na Turquia

Tamanho do texto Aa Aa

São imagens divulgadas pelos extremistas do Estado Islâmico no coração da cidade síria de Kobani.

Depois de conquistarem o quartel-general das forças curdas, os radicais prosseguem a ofensiva, confiantes numa vitória que se adivinha próxima.

Os fundamentalistas tentam, agora, tomar o posto fronteiriço com a Turquia, a cerca de um quilómetro de distância do país vizinho.

Os curdos não escondem as dificuldades em travar o avanço dos extremistas, mas os pedidos de ajuda continuam sem resposta.

Ancara tenta manter-se à margem desta guerra para desespero da comunidade curda.

“Se a Turquia não fizer nada a situação vai piorar. Vamos assistir a confrontos em todo o país, pessoas a morrer e lojas a serem destruídas. As pessoas já começaram a atacar a polícia e os militares. Creio que pode ocorrer um massacre” refere um curdo.

Um massacre que para muitos, ainda, pode ser evitado.

As manifestações pro-curdas têm vindo a ganhar força de norte a sul da Turquia.

Os confrontos da última noite em Istambul não provocaram vítimas mortais, mas dezenas de pessoas acabaram por ser detidas.

Em apenas cinco dias foram mortas na Turquia 31 pessoas e perto de 400 ficaram feridas. Números que não alteram a posição do chefe de governo turco.

“Todos esses líderes que andam com a corda ao pescoço devem estar consciente que a Turquia não se deixa intimidar por protestos. Não vamos mudar de posição” refere Recep Tayyip Erdogan.

A queda de Kobani ameaça deitar por terra o processo de paz entre Ancara e o PKK, Partido dos Trabalhadores de Curdistão. O fim das negociações pode ser anunciado já na próxima semana.