Última hora

Última hora

O negócio da exportação de ossos no Brasil

Em leitura:

O negócio da exportação de ossos no Brasil

Tamanho do texto Aa Aa

Os estudantes e os profissionais das áreas da saúde precisam de treinar constantemente novas técnicas cirúrgicas.

Uma fábrica no Estado de São Paulo especializou-se no fabrico de crânios, fémures e tíbias, entre outras centenas de réplicas de ossos humanos e de animais.

As peças são feitas em poliuretano, uma resina mineral usada na produção de plásticos e espumas.

“É um produto que capacita pessoas e profissionais e que permite diminuir erros médicos, para que os profissionais sejam cada vez mais treinados e façam a sua profissão com mais controle”, explicou Paulo Costa e Silva, sócio da Nacional Ossos.

A fábrica produz cinco mil peças por mês. Os produtos são elaborados a partir de materiais reciclados o que permite reduzir os preços de produção.

A fábrica emprega 40 trabalhadores. O processo de fabrico é artesanal e a empresa desenvolve novos produtos em função das necessidades dos clientes.

“Tudo isso vai de encontro com a nossa flexibilidade. A gente tem um crânio mas ele pode ser cortado em diversas partes, a gente tem um fémur mas ele pode ter anatomias diferentes”, acrescentou o empresário.

A Nacional Ossos exporta os ossos para 35 países. As universidades fazem parte da lista de clientes regulares. Só numa aula de ortopedia os estudantes podem ter de usar vinte ossos de pés artificiais.