Última hora

Última hora

Hong Kong: Governador aponta dedo a "forças estrangeiras" nos protestos

Em leitura:

Hong Kong: Governador aponta dedo a "forças estrangeiras" nos protestos

Tamanho do texto Aa Aa

O chefe do executivo de Hong Kong acusou forças estrangeiras de terem apoiado o movimento massivo de protesto prodemocrático que está a centrar os olhares do mundo há 23 dias.

Leung Chun-ying recusou-se no entanto a referir nomes ou países. “Existe a participação óbvia de pessoas, de organizações de fora de Hong Kong, na política de Hong Kong, durante há algum tempo. Não é a primeira vez que fazem isto e não é uma exceção”, declarou.

Os dirigentes do movimento de protesto desmentiram de forma veemente as acusações do chefe de governo local. Um manifestante, fotógrafo por conta própria, explica o seu ponto de vista.

“Este movimento é sobre o povo de Hong Kong. O povo sai às ruas porque eles dizem que precisam de democracia. Eles precisam de proteger os estudantes. Não são forças externas a dizer às pessoas para sair às ruas por causa dos estudantes”, argumenta Neil Chu.

No domingo à noite cerca de mil pessoas manifestaram-se em apoio à polícia de Hong Kong. Consideram que o protesto dos estudantes vai destruir o progresso e prosperidade da última década na antiga colónia britânica.