Última hora

Última hora

Comissão Juncker preparada para suceder à era Barroso

Em leitura:

Comissão Juncker preparada para suceder à era Barroso

Tamanho do texto Aa Aa

Em contagem decrescente para a votação plenária no Parlamento Europeu, esta quarta-feira, a nova Comissão presidida por Jean-Claude Juncker prepara-se para tomar posse em novembro.

As audições aos comissários indigitados terminaram com a aprovação dos dois últimos candidatos. A eslovena Violeta Bluc assume a pasta dos Transportes. Substitui a compatriota Alenka Bratusek, inicialmente apontada como vice-presidente com a pasta da união energética e depois rejeitada pelos eurodeputados. O eslovaco Maroš Šefčovič é quem vai ocupar o cargo deixado por Bratusek.

Margherita Sforza, Euronews: “Com a Comissão Juncker inicia-se um novo capítulo e fecha-se outro. Ao final de uma década, a Comissão liderada por Durão Barroso deixa uma herança controversa.”

Prestes a deixar o lugar da Presidência da Comissão, no último discurso no Parlamento Europeu Durão Barroso lembrou que se evitou o pior: “Estivemos de facto muito perto do um cenário de default, ou por outras palavras, perto da bancarrota em alguns Estados-membros. E vejamos em que situação nos encontramos agora: Portugal e a Irlanda tiveram sucesso no programa de ajustamento. A Irlanda é agora um dos países com crescimento mais rápido na Europa.”

Na hora de fazer um balanço, as opiniões dos eurodeputados sobre a prestação de Barroso dividem-se.

“Barroso foi um grande Presidente da Comissão Europeia porque trabalhou durante um período de grandes dificuldades na Europa”, elogiou o eurodeputado alemão Manfred Weber, do Grupo do Partido Popular Europeu.

O eurodeputado italiano de esquerda Curzio Maltese não poupa críticas: “Foi um desastre, ao longo de uma década. Basta olhar para os números do desemprego e do empobrecimento. Todos os indicadores mostram que se seguiu a política errada depois da crise de 2007-2008.”

Independentemente do consenso gerado pela Comissão Barroso caminha-se agora para o início de uma nova era na história europeia, sob a liderança de Jean-Claude Juncker. Alguns comissários transitam para o novo executivo comunitário.