Última hora

Última hora

Morte de Margerie não assusta mercados, no ar fica a pergunta: quem vai suceder-lhe?

Em leitura:

Morte de Margerie não assusta mercados, no ar fica a pergunta: quem vai suceder-lhe?

Tamanho do texto Aa Aa

Ao contrário do que seria de esperar a morte de Christophe de Margerie, o presidente da Total, não assustou os mercados com o grupo francês a fechar a sessão, desta terça-feira, a valorizar mais de 3,4%.

Para o responsável financeiro da Montsegur, Alain Crouzat, Christophe de Margerie tinha um plano definido: “Eu acho que, a cultura que ele desenvolveu para a empresa, a forma como criou o Conselho de Administração, foi feita para que o seu sucessor fosse encontrado entre as pessoas que fazem parte dele.”

Philippe Boisseau, diretor-geral de Marketing e Serviços e Energias Novas da Total, Patrick Poyanne, diretor-geral do setor de refinaria e Arnaud Breuillac, responsável de produção e exploração são apontados como possíveis sucessores.

Saber quem sucede a de Margerie, um homem com convicções muito marcadas, vai definir o caminho que o grupo vai seguir no futuro.

“Atrás de mim, a sede local da Total, um dos maiores e mais antigos investidores no setor do petróleo e gás da Rússia. Christophe de Margerie, que morreu tragicamente, considerava a Rússia como um lugar de desenvolvimento prioritário e pediu que se ‘suavizassem’ as sanções ocidentais. Que caminho vai escolher o seu sucessor?”, pergunta Natalia Marshalkovich, a correspondente da euronews, em Moscovo.