Última hora

Última hora

Total: "Negligência criminal" da direção do aeroporto

Em leitura:

Total: "Negligência criminal" da direção do aeroporto

Tamanho do texto Aa Aa

A equipa que investiga a colisão que resultou na morte do presidente da Total, Christophe de Margerie, concluiu que houve “negligência da direção do aeroporto”.

O avião onde seguia Margerie, um jato particular Dassault Falcon, estava a preparar-se para descolar do aeroporto de Vnukovo, em Moscovo, quando colidiu num limpa-neves, cujo condutor estava alcoolizado.

“Está agora confirmado que o condutor do limpa-neves estava sob a influência de álcool”, afirmou Tatiana Morozova, responsável pelas investigações no Departamento de Transportes de Moscovo.

Vladímir Martinénkov, o condutor, está detido enquanto as investigações prosseguem.

Os outros três tripulantes do avião também não sobreviveram. No momento da colisão a visibilidade era bastante reduzida.

O ministro francês da Economia reagiu à morte do numero um da Total.

“Não existe qualquer tipo de preocupações quanto ao futuro da Total. Cristophe de Margerie era uma grande dirigente e um grande dirigente constrói uma empresa para que ela consiga sobreviver a ele próprio. Haverá por isso uma continuidade. É um dia de luto, mas não devemos ficar inquietos inutilmente”, afirmou Emmanuel Macron.

O presidente da Total regressava de uma viagem de negócios a Moscovo, onde a petrolífera é atualmente um dos maiores investidores estrangeiros no país.

O francês era defensor da Rússia e das políticas energéticas russas, sendo contra a ideia de cortar a dependência europeia nos combustíveis fosseis daquele país.