Última hora

Última hora

Liga dos Campeões: Ronaldo faz a diferença em Liverpool e Benfica já pontua

Em leitura:

Liga dos Campeões: Ronaldo faz a diferença em Liverpool e Benfica já pontua

Tamanho do texto Aa Aa

Cristiano Ronaldo esteve em destaque no fecho da terceira jornada da Liga dos Campeões. Foi do avançado português o golo que lançou o Real Madrid para a primeira vitória da sua história sobre o Liverpool, em provas oficiais. O Benfica, por sua vez, já conseguiu pontuar, mas não foi além de um nulo no Mónaco e continua com o apuramento, não impossível, mas muito difícil. Tudo numa noite em que se marcaram, nos oito jogos disputados, menos 20 golos do que na véspera.


De regresso a Anfield, cinco anos depois de ali se ter estreado e sido goleado (4-0), o Real Madrid desta feita reescreveu a história e, ao quarto confronto oficial com os “reds”, depois de três derrotas, os “blancos” conseguiram a primeira vitória. A grande diferença, esteve claro, na presença de Cristiano Ronaldo, o homem-golo do momento, que na goleada de 2009 ainda morava em Manchester.

Aos 23 minutos, CR7 abriu o marcador com um belo golo após brilhante assistência de James Rodriguez. Foi o terceiro golo do português em três jogos na “Champions”, o 20.° da temporada e o décimo jogo consecutivo do melhor do Mundo a marcar pelos “merengues”.

O Liverpool demorou a reagir e o Real aproveitou para vincar a superioridade no marcador. Benzema adiantou os espanhóis, aos 30 minutos, a passe de Kroos, e bisou, aos 41, após assistência involuntária de Pepe. Os ingleses fecharam a primeira parte com um belo remate ao poste do brasileiro Coutinho. Na segunda parte não houve golos e Carlo Ancelotti terá começado logo ali a pensar no clássico de sábado, em casa, com o Barcelona.

Na outra partida, o Basileia, de Paulo Sousa ficou reduzido a 10 jogadores ainda na primeira parte, aguentou-se até aos 90 minutos, mas levou com um balde de agua fria nos descontos. O mesmo é dizer que o Ludogorets marcou aí o golo da vitória. Os búlgaros sobem ao segundo lugar e entram na luta pelos “oitavos” da Liga dos Campeões.

Ludogorets-Basileia, 1-0
Liverpool-Real Madrid, 0-3

1. Real Madrid, 9 (10-2)
2. Ludogorets, 3 (3-4)
3. Liverpool, 3 (2-5)
4. Basileia, 3 (2-6)

Benfica empata no Mónaco
Com dois portugueses no “11” de cada lado – André Almeida e Eliseu, pelo Benfica; Moutinho e Ricardo Carvalho, pelo AS Monaco -, o campeão português começou por sofrer um susto, logo aos 5 minutos, quando Lucas Ocampos, isolado por Berbatov, falhou o remate quase escandalosamente diante de Artur. O búlgaro viria a lesionar-se sozinho, obrigou Leonardo Jardim a queimar uma substituição à meia hora e as “águias” pareceram embalar com a ausência do avançado rival. Lima ficou muito perto do golo, aos 39 minutos, mas Subasic “abriu o livro” das defesas.

A abrir a segunda parte, nova boa chance para os franceses, por Anthony Martial, com um remate cruzado, ligeiramente ao lado. O Benfica reagiu bem. Valia ao Monaco a exibição de Subasic. Jesus acreditava na vitória e trocou o seu habitual “protegido”, Talisca, por mais um português, o avançado Tiago “Bebé”. Mas, aos 75 minutos, a tática encarnada sofreu rude golpe quando Lisandro Lopez, em estreia na “Champions”, teve entrada dura sobre Moutinho e viu vermelho direto. O nulo final acaba por castigar mais o emblema português, que se mantém no último lugar do Grupo C, a 3 pontos do terceiro.

Na outra partida, o Zenit apostou num jogo calculista em Leverkusen e pareceu resultar. Mas na segunda parte, os alemães chegaram ao golo. André Vilas Boas apostou apenas num português no “11”, Danny, e deixou o outro disponível, o central Neto, no banco.

O Bayer abriu o marcador num remate de longe de Giulio Donati, aos 58 minutos, e cinco minutos depois o recém-entrado Kyriakos Papadopoulos, fez o 2-0, que vale ao Leverkusen a liderança.

B. Leverkusen-Zenit, 2-0
AS Monaco-Benfica, 0-0

1. B. Leverkusen, 6 (5-2)
2. As Monaco, 5 (1-0)
3. FC Zenit, 4 (2-2)
4. Benfica, 1 (1-5)

Juventus perde em Atenas
No grupo A, a Juventus visitou o Olympiakos e perdeu. O suíço Pajtim Kasami, a passe de Mitroglou, foi o herói dos gregos e colocou o emblema de Atenas no topo da classificação do grupo, com desvantagem apenas nos golos marcados face ao Atlético do Madrid.

Os “colchoneros”, na outra partida, receberam o Malmo e chegaram ao intervalo a “zeros”. Mas na segunda parte, um golo de Koke soltou a equipa de Tiago (não jogou por lesão) e, no final, os campeões espanhóis derrotaram os homólogos suecos com uma chamada “manita”, que vale o primeiro lugar do grupo. Mas nada está ainda decidido.

At. Madrid-Malmo, 5-0
Olympiakos-Juventus, 1-0

-
1. At. Madrid, 6 (8-3)
2. Olympiakos, 6 (4-4)
3. Juventus, 3 (2-2)
4. Malmo, 3 (2-7)

Revolta dos “gunners” em Bruxelas
O triunfo do Anderlecht sobre o Arsenal parecia uma certeza com o jogo a caminhar para os 90 minutos e um só golo no marcador, o do hondurenho Najar marcado para os belgas aos 71 minutos. A revolta dos “gunners” começou aos 89 minutos, com o empate por Gibbs, e ficou completa, aos 91 minutos, pelo alemão Podolski.

A vitória deixa o Arsenal no segundo lugar, a três pontos do Borussia de Dortmund, que continua o passeio pela fase de grupos da “Champions” sem sequer sofrer golos. Desta feita, em Istambul, os alemães arrumaram a questão antes do intervalo, com um bis de Pierre-Emerick Aubameyang e um golaço de Marco Reus. Perto do fim, o colombiano Adrián Ramos fixou o marcador nos 0-4 e os alemães estão praticamente garantidos nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões.

Anderlecht-Arsenal, 1-2
Galatasaray-B. Dortmund, 0-4

1. B. Dortmund, 9 (9-0)
2. Arsenal, 6 (6-4)
3. Anderlecht, 1 (2-6)
4. Galatasaray, 1 (2-9)