Última hora

Última hora

Canadá: ataque solitário em Otava durou menos de cinco minutos

Em leitura:

Canadá: ataque solitário em Otava durou menos de cinco minutos

Tamanho do texto Aa Aa

Um ataque “relâmpago”. Entre o momento em que Michael Zehaf-Bibeau é visto armado pela primeira vez junto ao monumento aos mortos em Otava, onde mata a tiro um soldado, e a própria morte do atirador no parlamento canadiano, passaram menos de cinco minutos.

A informação foi avançada pelo comissário Bob Paulson, que apresentou esta quinta-feira os primeiros elementos do inquérito em curso:

“Zehaf-Bibeau agiu sozinho. Trata-se da mesma pessoa que perpetrou tanto o ataque no Memorial da Guerra, como no Parlamento. A investigação está a decorrer e vai determinar rapidamente se ele recebeu algum apoio para planear o ataque. Não temos qualquer informação que ligue os ataques desta semana, em Saint Jean-sur-Richelieu e Otava”.

As autoridades canadianas tornaram também público o vídeo das câmaras de vigilância que captaram a chegada do atirador de 32 anos ao Parlamento.

Zehaf-Bibeau estava na capital canadiana desde o início do mês, “para resolver uma questão relacionada com o passaporte” e tinha a “intenção de partir para a Síria”. Este detalhe, no entanto, só foi revelado à polícia pela mãe do atirador no dia do ataque. Paulson também negou ligações com indivíduos seguidos pelas autoridades:

“Recebemos informações não confirmadas que sugeriam que ele estava associado com um indivíduo que era nosso conhecido. Posso confirmar que Zehaf-Bibeau não fazia parte da lista de 90 ‘viajantes de risco’ que estão atualmente a ser investigados pelas autoridades”.

Os ataques desta quinta e segunda-feira – que vitimaram em ambos os casos um soldado – ocorreram depois do Canadá se unir à coligação internacional que luta contra os “jihadistas” do Estado Islâmico no Iraque e na Síria.