Última hora

Última hora

Ucrânia: Bloco Petro Poroshenko vence legislativas e quer UE em 2020

Em leitura:

Ucrânia: Bloco Petro Poroshenko vence legislativas e quer UE em 2020

Tamanho do texto Aa Aa

A força política liderada pelo atual chefe de Estado venceu das primeiras eleições livres na Ucrânia desde o derrube em fevereiro passado do executivo liderado por Viktor Ianukovich. De acordo com as projeções ainda a carecer de confirmação oficial, o Bloco Petro Poroshenko conseguiu 23 por cento dos votos, seguido de perto pela Frente Popular, do primeiro-ministro Arseni Yatseniuk, com 21,3 por cento das preferências dos eleitores.

O partido também europeísta Samopomich (Autoajuda), liderado pelo presidente da câmara de Lviv, Andri Sadovi, é a grande surpresa do escrutínio, ao conseguir 13,2 por cento. O Batkivschina (Pátria), da ex-primeira-ministra Julia Timoshenko, não foi além dos 6 por cento, mas deverá entrar nas negociações para a coligação que vai formar o novo Governo ucraniano.

“Mais de três quartos dos eleitores que participaram na votação apoiaram, de forma poderosa e irreversível, a orientação da Ucrânia em direção à Europa”, afirmou o Presidente Petro Poroshenko, num discurso à Nação após o fecho das urnas, acrescentando: “Não posso deixar de me sentir feliz com o facto de a maioria dos votantes apoiar as forças políticas que defendem o plano de paz presidencial e que buscam vias políticas para resolver a situação.”

O chefe de Estado adiantou ainda que os partidários de uma solução militar para o conflito nas regiões de Donetsk e Luhansk, controladas parcialmente por separatistas pró-russos, tiveram uma “clara minoria”. O Bloco da Oposição, que integrava os aliados do Presidente Ianukovich e é liderado pelo ex-ministro da Energia Iouri Böiko, obteve 7,6 por cento dos votos, ultrapassando os 5 por cento exigidos para ter representação na “Rada”, o parlamento ucraniano.

Poroshenko revelou que o objetivo da coligação europeísta será introduzir emendas constitucionais e reformas estruturais que permitam solicitar a entrada na União Europeia em 2020.