Última hora

Última hora

Ébola: União Europeia quer mobilizar milhares de técnicos de saúde

Em leitura:

Ébola: União Europeia quer mobilizar milhares de técnicos de saúde

Tamanho do texto Aa Aa

Médicos, enfermeiros e auxiliares de saúde são uma importante percentagem dos quase cinco mil mortos por infeção com o Ébola, em três países da África Ocidental.

O reforço de pessoal especializado é urgente e o novo coordenador europeu contra a epidemia anunciou, esta segunda-feira, em Bruxelas, o plano de ajuda da União Europeia (UE).

“São precisas mais camas e queremos passar das atuais mil disponíveis para cinco mil, o mais rapidamente possível. Cada cama requer oito técnicos – entre profissionais de saúde e auxiliares -, o que significa que temos de mobilizar, imediatamente, pelo menos 40 mil profissionais”, disse Christos Stylianides.

O coordenador, que é também comissário designado para a Ajuda Humanitária, vai visitar os países afetados (Libéria, Serra Leoa, Guiné-Conacri) dentro de duas semanas.

Em curso estão também preparativos para a evacuação de profissionais de saúde europeus que fiquem doentes durante as missões de voluntariado.

“Os nossos parceiros alemães estão a instalar num avião da Lufthansa a chamada bolha de isolamento de doentes. Os parceiros dinamarqueses estão dispostos a fazer o mesmo e da parte do Luxemburgo podemos contar com outros equipamentos para estes aviões no final de novembro ou, o mais tardar, no final do ano”, explicou o diretor-geral para a Ajuda Humanitária, Claus Sørensen.

A UE prometeu mobilizar 800 milhões de euros, sendo uma parte também canalizada para as organizações não governamentais de saúde que atuam no terreno.